domingo, 6 de setembro de 2009

Trilha dos Sentidos

Ainda não sei como quero expressar minhas coisas aqui no blog, na verdade eu nunca sei, não só aqui no blog. Quase sempre acabo me atrapalhando quando o assunto é me expressar, porque eu sempre quero deixar bem claro o que eu sinto a todas as coisas e pessoas.
Hoje fui a um congresso mundial sobre a paz, não participei de muitas paletras, andei pelos stands, acho que decorei todos os brincos e colares do stand de artesanato. Enfim, participei de uma Trilha dos Sentidos.
Antes de começar tiramos os sapatos para uma preparação para a entrada em um lugar onde usaríamos somente tato, olfato e audição. O coordenador se chama Antônio, um barbudo, loucão. Ele nos ensinou algumas formas de acolher o grupo com algumas frases, respiração e musiquinhas. A equipe é bastante organizada, educada e receptiva.
Antes de entrar no lugar nós mesmos nos organizamos para entrar umas três pessoas de cada vez, com pausas entre as entradas. Quando chega nossa vez, tapam nossos olhos com vendas, esperamos, alguém abre a porta e nos guia até um barbante, que é o que vai nos guiar dentro das salas.
Não sei descrever ao certo, mas tem vários objetos e muitas sensações boas lá dentro. Folhas, água, fogo, sons, aromas, abraços. Na dinâmica inteira devo ter dado e recebido mais ou menos vinte abraços!
Após sair do lugar e tirar a venda, desenhamos ou escrevemos o que sentimos. São desenhos e frases muito interessantes, cada um expressando uma coisa diferente.
Não vou contar em detalhes porque senão acaba a graça da Trilha. Se alguém ver em algum local uma dinâmica parecida, participe. Com certeza será uma experiência válida, muita gente sai emocionada de lá.
Lá a gente percerbe o quão importante é sentir. :)
Beijos, boa noite.

2 comentários:

Isabela disse...

Que bonito, Ana! Pude sentir emoção nesse post. Escreva sempre.
:*

camila. disse...

sim, isso se chama happening :D
já participei, na abertura do meu curso tecnico de teatro. FOI LINDO! aiusdhasihauash. Na verdade foi mais que isso, foi "sentir" mesmo e bem simbólico :D